Aguarde por favor...

Plano de saúde é caro: será mesmo?

26 de janeiro de 2017 by admin0
Doctor-holding-smiling-piggybank-1200x675.jpg

Quem não conhece o ditado que diz que  “é melhor prevenir do que remediar”? Esse dito traz em si uma verdade quando aplicado ao âmbito da saúde. Muitas pessoas, pensando que estão economizando, acabam não contratando ou cancelando seu plano de saúde e, quando surge a necessidade, precisam pagar mais caro por consultas particulares avulsas.

A afirmativa de que o plano de saúde é caro não é verdadeira e deve ser desmistificada, afinal, ela impacta diretamente um dos bens mais valiosos que temos: a nossa saúde.

Veja, a seguir, alguns exemplos e opções que demonstram que ter um plano de saúde não apenas é possível, como também recomendável.

Doctor-holding-smiling-piggybank

Conheça os tipos de planos de saúde

Antes de afirmar que um plano de saúde é caro, é preciso conhecer os tipos oferecidos. Assim, é possível achar uma relação custo-benefício mais eficiente para cada caso. Existem várias modalidades, com coberturas, abrangência, vantagens e, é claro, preços diferentes.

Em geral, os planos são divididos em:

  • Hospitalar com obstetrícia: cobertura hospitalar, pré-natal, parto, assistência total ao recém-nascido.
  • Hospitalar: internação em quarto comum ou em UTI (sem limite de prazos), inclui gastos com médicos e enfermeiras no período de internação.
  • Ambulatorial: cobertura de consultas, internação, cirurgias e procedimentos ambulatoriais. Tratamentos de hemodiálise, quimioterapia e radioterapia também estão cobertos, mas pode haver alguma restrição.
  • Plano de referência: é o mais completo e, por causa disso, é preciso desembolsar uma quantia a mais para mantê-lo. Cobre consultas, exames, tratamentos, cirurgias e até transplantes.

Escolha entre um plano completo ou de coparticipação

Todos os planos acima podem ser completos ou de coparticipação, a diferença é que o primeiro possui um valor fixo mensal sem nenhum custo adicional. Este é o tipo de plano ideal para uma gestante ou para alguém que tenha uma doença preexistente, por exemplo. Vale ressaltar que existem planos completos com excelentes condições e valores. Com isso, nem sempre você terá de pagar mais caro por escolher um plano mais completo.

Já no plano de saúde de coparticipação se investe um valor adicional ao pago na mensalidade a cada procedimento ou consulta realizada. Essa opção pode ser recomendada para quem pretende utilizar o serviço apenas ocasionalmente, para exames preventivos e consultas de rotina, e quer ter um plano para sentir-se mais seguro e amparado.

É importante avaliar bem as duas opções, pois, em um primeiro momento, a coparticipação pode parecer mais barata, entretanto, é comum que, com o uso, ela supere o valor do plano completo. Por isso, faça uma previsão realista de como você utilizará o serviço para não acabar pagando a mais por ele, dando a entender que plano de saúde é caro, quando, na verdade, essa não é uma verdade absoluta.

Avalie a cobertura mais adequada

Um plano com cobertura nacional, com opções para realização de consultas e procedimentos em todo o Brasil, comumente, tem um custo maior do que o plano de cobertura regional. Se você não costuma viajar para fora de seu estado, investir em um plano de cobertura menos abrangente pode representar uma economia inteligente, que não afetará nos serviços prestados.

No caso de viajar com frequência, a cobertura em todo o território nacional pode ser uma tranquilidade desejada. Se você estiver fora e precisar pagar por um procedimento particular, provavelmente, acabará gastando mais do que o valor da mensalidade do plano. Portanto, antes de acreditar que um plano de saúde é caro, faça o exercício da sua necessidade para optar pela melhor cobertura.

Analise a possibilidade de migrar de um plano individual/familiar para um coletivo

Outro modo de assegurar um plano de saúde de qualidade e que caiba em seu bolso é, no caso de estar avaliando planos individuais, familiares ou mesmo já ter um contratado, analisar a migração para um plano coletivo ou empresarial, que costumam ter uma mensalidade menor do que os demais.

Para quem não tem empresa, uma possibilidade é buscar por entidades de classe, que costumam oferecer convênios para planos de saúde dessa modalidade.

O plano é uma segurança e um cuidado essencial com nossa saúde e nosso bem-estar – e com o de quem amamos. Há opções de qualidade com diferentes faixas de preço e, certamente, há um plano de saúde ideal para você. Afirmar categoricamente, que o plano de saúde é caro é equivocado e pode levá-lo a ter custos e estresse muito maiores em caso de um imprevisto. Pense nisso.

Se você quer ajuda para encontrar a opção com o melhor custo-benefício, entre em contato com um consultor ou deixe sua mensagem aqui, nos comentários.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


logogrupothapymarbranca

O grupo Thapymar está presente no mercado há 22 anos. Inicialmente iniciou suas atividades na cidade do Rio de Janeiro com foco exclusivo na comercialização de planos de saúde. Graças a sua seriedade e compromisso com o cliente, a Thapymar vem crescendo de maneira acelerada desde a sua fundação, se tornando hoje uma referência no mercado de planos de saúde e seguros em todas as cidades onde atua.

© Grupo Thapymar 2017. Design by WebMakers